A Lei nº 13.846/2019

A Lei nº 13.846/2019

A Lei nº 13.846/2019

A Medida Provisória 871/2019 foi convertida na Lei nº 13.846/2019 e está gerando muitas dúvidas nas pessoas, pois a imprensa tem falado constantemente sobre a realização de “pente fino” nos benefícios previdenciários concedidos.

Neste post serão apresentados os principais pontos que impactarão os segurados do INSS, de interesse do público em geral geral e dos profissionais do direito.

Eis as principais mudanças:

1.- Auxílio-doença: carência de 06 meses. Agora, o segurado deverá completar novamente a metade dos períodos integrais de carência.

2.- Auxílio-acidente não manterá a qualidade de segurado. Isto é, o auxílio-acidente não conta mais para a manutenção da qualidade de segurado.

3.- Auxílio-reclusão: carência e a nova definição de baixa renda. Agora tem carência, necessitando de pelo menos 24 (vinte e quatro) meses de carência para a concessão do auxílio-reclusão. Outra mudança importante: só vai receber auxílio reclusão o preso do regime fechado. O cálculo da renda será feito da seguinte forma: a) Cálculo da média dos salários de contribuição apurados no período de 12 (doze) meses anteriores ao recolhimento à prisão. b) O resultado desta média deve ser igual ou inferior ao estabelecido na EC 20/1998 com as atualizações;

4.- Pensão por morte: prescrição de 180 dias para o menor de 16 anos. ;

5.- Inscrição após a morte: contribuinte individual e facultativo. Antes a restrição estava prevista na IN 77/2015, bem como em instruções normativas anteriores. Agora a previsão é legal. ;

6.- Salário Maternidade: Desempregada e Decadência. A responsabilidade pelo pagamento é do INSS e o critério do cálculo está fixado em lei. ;

7.- Decadência: 10 (dez) anos para tudo. Agora o prazo de decadência é válido para todas as hipóteses, inclusive naqueles em que os tribunais já tinham adotado a posição da não aplicação da decadência;

8.- Revisão Ativa dos Benefícios: previsão em lei do conhecido “pente fino”. ;

9.- Prazo para defesa no INSS para erro ou fraude: 30 (trinta) dias. Para trabalhador rural: 60 (sessenta) dias;

10.- Segurado Especial: autodeclaração e cadastro no CNIS. A partir de 2023, a comprovação da atividade rural do Segurado Especial vai ser realizada exclusivamente pelo cadastro perante a Previdência Social, que deve ser atualizado por.

Eis, acima, alguns pontos relevantes da MP 871/2019. O presente post não tem a intenção de esgotar o assunto, mas o de apresentar os pontos de maior interesse aos beneficiários do INSS. E, assim, retirar algumas dúvidas sobre tema de interesse de grande parcela da população brasileira.

About Post Author

guedesebraga

guedesebraga

Leave Comments

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Importante: Este site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos sites, você concorda com tal monitoramento. Criado por WP RGPD Pro