Dante contra o Papa. Parte I. A conspiração do Papa Bonifácio VIII para controlar Florença.

Dante contra o Papa. Parte I. A conspiração do Papa Bonifácio VIII para controlar Florença.

Dante contra o Papa. Parte I. A conspiração do Papa Bonifácio VIII para controlar Florença.

Na Idade média, Florença era uma importante Cidade-Estado.

Comandavam a política florentina, os partidos dos Gibelinos e dos Guelfos. Este partido era dividido entre os Guelfos brancos e Guelfos negros.

Os Gibelinos haviam sido expulsos de Florença. Os Guelfos negros eram mais agressivos e militantes, os Guelfos brancos não. Dante era Guelfo branco e o partido dele estava no Poder. Os Guelfos negros, por sua vez, eram a favor de que o Papa se intrometesse na política e nos assuntos internos de Florença, os Guelfos brancos não.

Além disso, o Papa era o soberano temporal e espiritual naquela época. Política e religião estavam entrelaçadas.

Dante se opunha à instrumentalização da religião pela política (explicamos isso, neste blog, em “Dante e a filosofia política”).

Em junho de 1301, servindo à República florentina já sem mandato, ele se opôs ao pedido do Papa Bonifácio VIII que queria enviar dinheiro e tropas a Florença para conter inimigos pessoais.

Papa Bonifácio VIII, nome de batismo Benedetto Caetani, preocupava-se com Florença e a oposição dos Guelfos brancos.

Os brancos, realmente, queriam a total independência de Florença e livrar-se da influência papal na política.

Para tanto, elaboraram nova constituição, mas suspeitavam que o Papa não a respeitava.

E não respeitava mesmo. Bonifácio VIII, então, resolveu apoiar os Guelfos negros contra os Guelfos brancos.

Corso Donati, primo da esposa de Dante e líder dos Guelfos negros, fora banido de Florença e foi a Roma conspirar com o Papa.

Bonifácio VIII, para tentar pacificar a agitação política em Florença, enviou Carlos de Valois, irmão do Rei da França como interventor e pacificador.

Os Guelfos brancos não confiavam em Carlos de Valois, mas este prometera respeitar a recém promulgada constituição de Florença.

Corso Donati, no entanto, visitara Carlos de Valois em Siena, oferecendo-lhe favores papais e 70 mil florins.

A conspiração estava completa: Bonifácio VIII, Corso Donati e Carlos de Valois. O Papa queria tomar o Poder em Florença com seus aliados.

Os Guelfos brancos não sabiam disso e, ao mesmo tempo, organizaram uma missão diplomática para falar com Bonifácio VIII e pedir garantias de que Carlos de Valois respeitaria a constituição de Florença. A missão era composta por três membros e Dante Alighieri estava entre eles.

Papa Bonifácio recebera Dante com frieza e malícia, enquanto isso os planos dele eram postos em prática em Florença, sem que o magistral poeta florentino soubesse.

A traição papal e a crueldade na execução dos planos foram “dignas” dos piores gângsteres. A comparação é bem vinda para quem assistiu ou leu “O Poderoso chefão”, Parte I, e se lembra da cena do batismo em que Michael Corleone põe em prática seus cruéis planos, ao mesmo tempo em que finge estar tudo bem naquele momento solene.

Corso Donati, com o beneplácito do Papa e a permissão de Carlos de Valois, invadira Florença. Eles soltaram os presos, pilharam a cidade, assassinaram os Guelfos brancos, queimaram casas e baniram os opositores. Dante teve sua casa destruída e foi banido de Florença, enquanto o Papa Bonifácio VIII o recebia amistosamente. O golpe estava consumado.

Para ler sobre Dante e a filosofia política, clique aqui.

About Post Author

Luís Fernando Pires Braga

Advogado.

Recent Comments

  • Maurício Almeida

    Brilhante a narrativa. Linguagem simples e detalhada desse episódio marcante vivenciado por Dante em oposição ao Papa à época. Interessante.
    Esse blog possibilita acesso à cultura universal. Digno de elogios.

  • Ricardo Vasconcelos

    Muito bom. Informação útil, ensino universal e atemporal.

  • ODILON ROCHA

    Bem interessante essa passagem da História.
    Em todos os tempos houveram essas situações de traição, politicagem e canalhice.
    É o curso da evolução.
    Literalmente, o inferno de Dante.

  • Dante contra o Papa. Parte II. A ira de Dante. - Guedes & Pires Braga Advocacia

    […] Para ler Dante contra o Papa, parte I, clique aqui. […]

Leave Comments

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Importante: Este site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos sites, você concorda com tal monitoramento. Criado por WP RGPD Pro