Sorriso selfie

Sorriso selfie

 Sorriso selfie            

Tenho observado nos últimos anos, com a popularização dos smartphones e do acesso às redes sociais, um certo padrão de comportamento daqueles usuários que não resistem à oportunidade de registrar os momentos vividos (será que vividos mesmo?) em fotos que serão compartilhadas (ou “postadas”, para usar a linguagem das redes sociais) em seus perfis no facebook ou em outra plataforma social qualquer existente no universo da rede mundial de computadores.            

A todo momento observo pessoas fazendo autorretratos nos locais mais variados possíveis, na rua, na praia, nos centros comerciais, no local de trabalho, como se o mundo delas fosse aquele, existente apenas em algum sítio eletrônico perdido na imensidão da internet.            

O traço em comum no comportamento dessas pessoas é a forma de sorrir. Isso mesmo, o sorriso diante do celular no momento da conhecida foto selfie.

Já notaram que praticamente todos os adeptos das selfies exibem um sorriso plastificado, sem emoção crível? Trata-se de um sorriso escancarado, com a musculatura do rosto contraída ao máximo, aguardando o clique da lente do celular.

Parece que se demorar muito para fotografar, os adeptos das aludidas fotografias sofrerão alguma câimbra na musculatura facial. Alguém poderá afirmar, ao ler esse texto, que eu também já fiz uma autofotografia em algum momento da minha vida. É verdade, também já fiz uma selfie. E assim a tecnologia vai moldando comportamentos e criando hábitos, massificando as condutas das pessoas, sem que elas percebam essa influência. 

About Post Author

Luiz Guedes da Luz Neto

Possui graduação em Direito pelo Centro Universitário de João Pessoa (2001). Mestre em Direito Econômico pela UFPB (2016). Aprovado no concurso de professor substituto do DCJ Santa Rita da UFPB (2018). Aprovado no Doutorado na Universidade do Minho/Portugal, na área de especialização: Ciências Jurídicas Públicas. Advogado. Como advogado, tem experiência nas seguintes áreas : direito empresarial, registro de marcas, direito administrativo, direito constitucional, direito econômico, direito civil e direito do trabalho. Com experiência e atuação junto aos tribunais superiores. Professor substituto das disciplinas Direito Administrativo I e II e Direito Agrário até outubro de 2018. Recebeu prêmio de Iniciação à Docência 2018 pela orientação no trabalho de seus monitores, promovido pela Pró-Reitoria de Graduação/UFPB. Doutorando em direito na UFPB.

Leave Comments

Importante: Este site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos sites, você concorda com tal monitoramento. Criado por WP RGPD Pro