Ciência, positivismo científico e causalidade. A questão do tratamento de uma doença sem comprovação científica

Ciência, positivismo científico e causalidade. A questão do tratamento de uma doença sem comprovação científica

Ciência, positivismo científico e causalidade. A questão do tratamento de uma doença sem comprovação científica

“Fatos não deixam de existir só porque são ignorados” (Aldous Huxley).

Assunto de extrema relevância e que não deve ter nenhuma conotação política, muito se tem falado sobre a possibilidade de se tratar uma doença mesmo sem a devida comprovação científica do tratamento. A questão assume mais importância ainda em tempos de pandemia.

Necessário irmos ao cerne da questão para esclarecer esse assunto.

Em ciência, o conjunto de processos de verificação de hipóteses chama-se experimentação.

A experimentação, por sua vez, consiste em que nas mesmas circunstâncias, as mesmas causas produzam os mesmos efeitos.

Os fatos são verdades existenciais bem constatadas e a lei científica, dessa forma, nada mais é do que o fato real abstraído da experiência de acordo com a causalidade.

No entanto, o positivismo científico rejeita a causalidade e só admite a descrição do fenômeno como base da ciência. Por isso mesmo, não aceita o fato que uma ou várias pessoas se curaram ao tomar remédios que não tiveram a prova da conexão fenomenológica.

Maritain, em sua obra “Filosofia da natureza”, explica esse estado de coisas que rebaixa o conhecimento científico:

“Para o positivismo, a ciência se caracterizará, portanto, antes de mais nada, pela eliminação de toda preocupação ontológica.
Requer-se então que se afaste toda preocupação ontológica e ao mesmo tempo toda preocupação em explicar pelas causas, a ciência se reduzirá às leis, às conexões dos fenômenos, sua tarefa consistirá unicamente em descrever fenômenos e procurar ligações estáveis entre eles”

“Como escreve Meyerson, ao descrever essa concepção positivista da ciência: “mesmo se somos convidados a formular suposições, hipóteses, elas devem ter por único objeto uma regra empírica ainda desconhecida”. O próprio Augusto Comte em seu “Curso de Fiosofia Positiva” afirma: “toda hipótese física para ser realmente julgada, deve dizer respeito exclusivamente às leis dos fenômenos, e jamais a seu modo de produção”(porque dizer modo de produção é dizer causalidade)”.

Dessa forma, como demonstrado acima, os fatos e a causalidade foram relegados a um plano marginal na ciência, mas a verdade é que os fatos e a causalidade existem. Verdade também que há mais curados(muito mais) do que mortos nessa pandemia.

Se existem curados é porque existe tratamento e cura, ou então estaríamos diante de milhares de casos de recuperação espontânea de pacientes e essa doença, por conseguinte, não seria tão grave assim.

Se são recuperações espontâneas, então ninguém precisaria ir para o hospital, pois lá só existiriam tratamentos paliativos sem propriedades curativas, mas o que se observa e é amplamente divulgado é que há protocolos com vários medicamentos (dois ou mais) para serem usados no caso dessa pandemia de covid-19 e ainda existe a recomendação de que a medicação deva ser usada no início da doença.

Sendo assim, podemos concluir que médicos prescrevem remédios para tratar os pacientes acometidos de covid-19, milhares são curados (a imensa maioria), logo há tratamento, cura e a relação de causa e efeito está demonstrada, ainda que alguns cientistas, outros médicos e defensores radicais do positivismo científico neguem os fatos e a causalidade.

Para ler sobre o fanatismo político na Era das redes sociais, clique aqui.

About Post Author

Luís Fernando Pires Braga

Advogado.

Recent Comments

  • Odilon Rocha

    Excelente exposição e análise do maior embuste, ou engodo, como quiserem, do século. Por enquanto.
    Defensores do caos e da destruição dos valores ocidentais – arduamente conquistados – , apologistas do menos, da ignorância e da falta de estudo, não têm a mais mínima autoridade para falar sobre esta questão do vírus.
    O mínimo que disseminaram causou o máximo de estrago. Esse era o intento da “ciência” deles.

  • Direito, política e ilusão: pandemia COVID-19 - Guedes & Pires Braga Advocacia

    […] P.S.2: Leia também: Ciência, positivismo científico e causalidade. A questão do tratamento de uma doença sem comprov… […]

  • Por onde anda a "bala de prata" contra a COVID-19? - Guedes & Pires Braga Advocacia

    […] Para ler sobre “Ciência, positivismo científico e causalidade. A questão do tratamento de u… […]

Leave Comments

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Importante: Este site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos sites, você concorda com tal monitoramento. Criado por WP RGPD Pro