Guerra, aborto e lideranças mundiais

Guerra, aborto e lideranças mundiais

“O aborto é pior do que a fome, pior do que a guerra” (Santa Madre Teresa de Calcutá)

Guerra, aborto e lideranças mundiais

Não é de se estranhar um certo tipo de “esquecimento” da guerra na Ucrânia.

As principais lideranças mundiais parecem não estar interessadas em resolver essa situação. Além da falta de interesse, talvez não consigam resolver mesmo. Não são estadistas. Estes, infelizmente, não existem mais.

Como dissemos no artigo o “Cardeal cinza” ou a “Hora de Putin” temos um vilão perfeito nesta guerra russo-ucraniana, por outro lado, não temos, nos principais países que apoiam a Ucrânia, lideranças confiáveis e capacitadas contrárias ao ditador russo.

Tomemos como exemplos os Senhores Joe Biden, Presidente dos EUA e Justin Trudeau, Primeiro-ministro do Canadá.

É muito simples saber o porquê da falta de confiança neles: os dois são abortistas convictos e, portanto, são a favor da morte. Defendem a destruição de bebês no ventre materno. Uma tragédia maior do que a guerra.

Trudeau pediu, em 2019, 300 milhões de dólares para doar à causa abortista e ataca, veementemente, os movimentos pela vida, dizendo que estes não estão de acordo com a sociedade. Na lógica totalitária dele, não estar de acordo com a sociedade é ser um “excomungado social”, assim como aconteceu com os não vacinados no Canadá.

Biden, por sua vez, lutou pelo aborto durante a campanha presidencial e lançou, em maio deste ano, uma batalha pelo direito de matar crianças no ventre.

Ou seja, a contradição se faz presente. Ou os dois são a favor da vida de maneira integral, sendo opositores à guerra e ao aborto ou, caso contrário, não podemos crer nessas duas lideranças.

Além disso, sob a desculpa de conter o avanço da covid-19, implementaram ou apoiaram o confinamento da população através dos lockdowns. São “coveiros da liberdade”, como dizia Karl Jaspers.

Então, se os dois são contrários à invasão russa, não o são por razões humanitárias, pois, caso fossem, defenderiam a vida e a liberdade em quaisquer circunstâncias.

Razões geoestratégicas, econômicas, como o lobby da indústria armamentista, explicam o apoio daqueles líderes à Ucrânia.

Trudeau e Biden são políticos oportunistas e facciosos. Fazem parte daquela precisa descrição feita por Karl Jadpers: “inescrupulosos, agem, em nome da liberdade, contra a liberdade. Envolvidos, escapam pela palavra falsa ou espirituosa (…) com palavras sentimentais eles representam a comédia da seriedade. São coveiros da liberdade”.

Leia também:

A importância da grande literatura e da lógica na identificação da falsa notícia e dos maus governantes: pandemia, aborto, fake news e a perversa contradição

Direito, moral e a “destruição da ideia de direito”

Publicado no blog Guedes & Braga

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

About Post Author

Luís Fernando Pires Braga

Advogado.

Leave Comments

Importante: Este site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos sites, você concorda com tal monitoramento. Criado por WP RGPD Pro